Galleycast 05: Mania de passageiros (que irritam a aeromoça)

Senhoras e senhores, Bom dia e sejam muito bem vindos à bordo 🙂

E ande no corredor certo!

Guarde a mala sem fazer bagunça!

Leia o menu que foi dado!

Não peça coisas à prestação!

Enfim, já deu pra entender que estamos irritadas e hoje vamos contar algumas atitudes de passageiros que nos irritam e o porquê.

Apertem os cintos (e só tire quando o sinal apagar, viu?) e coloquem os fones para mais um Galleycast no ar!

Não Perturbe da Andressa Caggiano:

Blog: http://naoperturbe.net.br/
Facebook: http://www.facebook.com/naoperturbeblog/
Youtube: Não Perturbe

Podcasts citados: O nome disso é Mundo e  Tourcast

Participantes:

Cmrª Mariana

Cmrª Ali

Cmrº Ricardo

Cmrª Andressa Caggiano

This entry was posted in Uncategorized and tagged , , , , , , , , , , , , , . Bookmark the permalink.
  • Fala meninas,

    Como tive oportunidade de trabalhar em terra durante dois anos, gostaria de comentar sobre a parte onde foi falado sobre o pessoal do “chiquinho” se livrar da familia e mandar trocar os assentos a bordo.

    Quando um voo está cheio, 90% dos pax já terem feito check-in faltando 5 minutos para o encerramento do voo, as chances de se ver uma família inteira ao longe correndo são grandes. Murphy não é nosso amigo. Sempre nos entreolhávamos com aquela cara de “tomara que passe reto”. A cena é: o pai com a bolsa do alien gigante caindo do ombro e indo parar no antebraço, a mãe não conseguindo correr com o alien nos braços, os dois catarrentos maiores fazendo uma quizumba nas crowd control belts desencaixando tudo… E adivinha? Eles vem parar no seu guichê.

    Obvio que não tem reserva de assento feito. Obvio que o documento não está separado pra facilitar. Pra que se pode dificultar né? Obvio que só tem assento separado e todos na B e D (nos narrow).

    O que vocês fariam? Lembrando que faltam 5 minutos para o encerramento. Claro que iriam fazer o check-in de acordo com a disponibilidade pra não prejudicar a viagem deles e causar uma dor de cabeça desnecessária pra companhia.

    Não tem como achar os passageiros na sala de embarque e solicitar que voltem ao check-in pra trocar de assento. Não tem como eu trocar o assento de alguém que fez reserva ou chegou antes. Simplesmente eu dizia: “ou é isso, ou vocês não voam hoje”

    Curiosamente todos aceitam sem argumentar por que? Porque estão errados. E como bons latinos, tentam empurrar o problema para a tripulação comercial. Muitas vezes não é o pessoal do check-in que manda eles falarem que era pra trocar a bordo. Tem muita gente escrota nesse mundo mesmo, querendo levar vantagem.

    Claro que existem situações que são duas pessoas sentando um na 7A e outro na 8C. Aí realmente eu falo pra tentarem trocar a bordo, porém avisava que deveria ser solicitado a tripulação a troca primeiro.

    Toda companhia deveria ter um programa que obrigasse os tripulantes a fazer tarefas de terra. Se não fosse pra fazer, que pelo menos acompanhasse um funcionário em tudo que ele fosse fazer durante o turno. Essa “guerra fria” entre solo e terra na minha opinião acontece por desconhecimento das funções um do outro.

    Não foi uma canelada na Ali especificamente, pois essa reclamação era constante nos dois anos que trabalhei em terra. Ouvia isso semana sim, semana não. Em minha defesa, sempre pensei em vocês também, fazia de tudo para amenizar um pouco os problemas que tem a bordo (inclusive jogando para o fundo do avião pax pentelho, quando não, fazendo o check-in na última fileira que não reclina).

    Até a próxima!

    • Galleycast

      Toledano, super concordo com essa sua sugestão, terra saber um pouco mais sobre o que fazemos e nós sabemos sobre o pessoal de terra. Aqui, quando eu voo com alguém que foi transferido do solo pro voo, eu encho o cara (ou a menina) de perguntas, mas nem todos os meus colegas tem o mesmo interesse.

      E não é só na America Latina, aqui onde a maioria de nós voamos, tem passageiro do mundo inteiro e acredite, é tudo a mesma coisa. Enfim, dá pra fazer uns 50 episódios só sobre Pessoal de Solo e Voo e passageiros e a história continua… Abraços!

  • E aí, pessoal, tudo bem?

    Enquanto eu ouvia o podcast, me lembrava de várias histórias que presenciei do outro lado, enquanto passageiro. Aliás, sempre fui um passageiro bonzinho. Só teve uma vez que levantei quando não devia, mas eu PRECISAVA fotografar aquele nascer do sol nos Andes. Desculpem, comissários.

    Sobre turbulência e comissários precisarem se sentar, certa vez eu tava indo pra Belo Horizonte com um amigo de faculdade e, assim que o avião chegou à altitude de cruzeiro, ele começou com uma turbulência levinha. Mas estava tranquilo, nem interromperam o serviço de bordo. Ainda assim, esse amigo meu ficou preocupado e eu falei “cara, tá tranquilo. Olha só os comissários ainda estão fazendo seu trabalho. Sinal de que tá tudo bem”. Foi eu falar isso, surgiu o aviso de apertar cintos e os comissários sumiram na galley.

    Outra vez, eu pousei no Galeão, vindo do Chile. O avião taxiava para o terminal e uma passageira se levantou e começou a mexer no bagageiro. A aeronave parou no meio do Galeão e o comandante disse que só voltariam a taxiar quando tivessem todos os passageiros sentados. A mulher continuou de pé, eu não sabia se ela tinha entendido ou não. O comandante falou mais duas vezes. De repente, no fundo da aeronave, um passageiro se levantou pê da vida e apontando o dedo pra ela gritou “P… ESSA MULHER NÃO TÁ OUVINDO?! EU VOU FAZER ELA SENTAR AGORA!”

    Os comissários da galley traseira correram para segurá-lo enquanto os da dianteira corriam pra fazer ela se sentar. A mulher sentou e todo o mundo no avião começou a aplaudir e gritar! huahuahuahuahua

    Enfim, ótimo programa! Gostaria de ouvir agora o outro lado, histórias legais de quando os passageiros foram legais com os comissários.

    • Galleycast

      Lucas, #rialto do seu PRECISAVA tirar a foto do nascer do sol. E sim, temos na pauta um episódio sobre passageiros fofos e legais. E prepare os lenços, haverão muitos passageiros que nos dão lições de vida, mesmo que eles estejam no fim dela. Abraços e até!